; //]]>

20/07/2017

Nescau e Prosa | Compras & e-Books

CRÉDITOS

          Não argumentem usando desculpas para compartilhamento ilegal de livros;
          Lutem por mais bibliotecas — mesmo que seja uma salinha cheia de livros doados, ai na sua cidade.


Esse ‘papo’ entre nós não é sobre acabar com a pirataria, mas a tristeza que eu senti ao ler tanta ignorância reunida em uma tarde na rede social apoiando e usando de desculpas para continuar fazendo errado. ”


          Nas últimas semanas nós leitores, blogueiros e escritores pudemos assistir uma movimentação meio tensa e polêmica no Instagram, Twitter e principalmente no WhatsApp. É bem capaz de vocês já saberem do que se trata. É um problema que não é do interesse de alguns — até porque não os afeta (vulgo: insensível), mas que é essencial para nós que trabalhamos com livros conversar sobre todos .

Acredito que a maioria que estão em grupos literários receberam videos de uma autora chateada pelo compartilhamento ilegítimo do seu livro. Isso até entendemos, mas o que pegou ~muito~ mal mesmo foi o porta voz dela usando de palavras que chegam a ser mais incômodas do que o motivo pelo qual ele estava “chateado”. Mas não vamos falar sobre, certo? ;)

Ontem uma escritora e blogueira muito querida pela galera: Babi Dewet que é autora dos livros, twittou o seguinte:

"NÃO LEIA LIVROS EM PDF! É absurdo, inclusive se você for blogueiro e incentivar esse tipo de crime! ISSO É CRIME.
— @babidewet"

          Eu achei super bacana da parte dela falar isso cara, porque eu não vejo muito movimento por parte de editoras e escritores levantando esse assunto. A situação ficou problemática quando uma galera começou a revidar a autora/blogueira dizendo que “não tinham dinheiro para comprar livros”, “que o preço no BR é um absurdo” , que “escritores têm outros empregos para ganhar dinheiro”.

A questão é que foi tanta bobagem tuitada, tanta desvalorização cultural camuflada de argumento que eu cheguei a me questionar se eram realmente leitores que estavam falando aquilo. Será que não aprenderam nada com os livros? Tinha gente dizendo que existia coisas mais importantes para gastar o dinheiro do que com livros. Sim. Existem cem coisas que são prioritárias do dia a dia, mas isso não justifica o crime que as pessoas praticam.

Parecia uma zona de “leitores” praticando o vitimismo contra o “BR é uma b*sta e eu sou uma vítima.” Então, comecei a pensar que, parece que todas as vezes em que reclamamos de algo que está sendo feito de forma errada a galera joga a culpa na crise. Claro. É impossível negar que exista uma crise, mas o que quero abordar aqui é sobre eu e você. Sobre a consciência do leitor e blogueiro. Será que torna menos errado baixar os livros argumentando com os pontos negativo do nosso país? É certo, eu que já não tenho tanto acesso a cultura prejudicar aquele que a produz?

Esse ‘papo’ entre nós não é sobre acabar com a pirataria, mas a tristeza que eu senti ao ler tanta ignorância reunida em uma tarde na rede social apoiando e usando de desculpas para continuar fazendo errado. 

Existem as pessoas que realmente não devem ter grana suficiente para comprar livros, CD e DVD o tempo todo, mas não podemos negar que tem gente que tem condições e ainda assim não o fazem. Sabe, infelizmente a cultura não é gratuita, até porque por trás da arte existe um artista e o mesmo também precisa pagar as próprias contas. Ele precisa do dinheiro da arte dele para viver, porque esse é o sonho de qualquer cantor, compositor, pintor, músico e com o escritor não iria ser diferente. Ninguém vai chegar em um arquiteto, pedir para ele projetar uma casa e sair com o trabalho dele em mãos sem pagá-lo.



          Lembra quando você está assistindo a um telejornal e o infrator diz: “cometi o crime porque não tive outra opção!”? Você tem vontade de rir de nervoso em alguns casos porque sabe que existem sim outras opções e eu irei apresentá-las a vocês em outro post. A minha falta de condição financeira não é desculpas para prejudicar o próximo. A Babi, antes de ter uma editora saiu vendendo seus livros de forma independente, cara.

Fiquei triste ao ver tanta gente que se diz leitor menosprezando a arte e o seu artista. Me pareceu egoísta dizer que a minha falta de condição para comparar um livro é maior do que o seu direito e os direitos autorais da sua arte.

Existe uma pequena biblioteca não governamental na minha cidade e que no máximo são dois exemplares de cada livro disponível, — o que é pouco e muitas vezes o que eu quero ler já está emprestado — mas isso já me ajuda bastante para trazer resenhas para o blog. A última vez que tive grana disponível para comprar livros foi ano passado, então baixar ebooks “gratuitos” na internet se torna bastante tentador, quem nega? E não nego que já o fiz. Mas eu não quero mais fazer isso cara. Não quero que a minha “falta de acesso à cultura” ou “os preços absurdos do Brasil” se tornem motivos para que eu vá contra os princípios que estou estabelecendo.

Do que adianta alguém ter um blog de resenhas bacana se quem o administra está pisando na cabeça das editoras e autores para escrever as resenhas? Do que adiantaria eu falar da crise, de corrupção e da falta de amor no mundo se eu não respeitasse o trabalho e direito do próximo?

Se livro é cultura e a cultura não é gratuita então Fulano deve sim pagar por ele. Agora se o livro não for assim tão importante que mereça ser comprado, Fulano quer ler ele para que? A escola que chamamos de pública na verdade é paga por nós. A gente paga cursinho, curso técnico, curso profissionalizante, então porque não pagar por um livro que também nos traz educação? A gente paga até por livros acadêmicos.

Não pode comprar livros sempre? Tudo bem, a gente entende. Eu entendo. Então vamos junta uma graninha durante o mês e então comprar o livro que deseja ler. Afinal, é melhor ler um livro que você pagou legalmente por ele do que ler vários infringindo a lei e desvalorizando o autor e toda a galera que está por trás dele.

Eu precisa escrever sobre isso, principalmente porque sou leitora e tenho um blog sobre livros. Sabe, se eu amo muito um livro, uma banda ou uma série, eu não irei querer prejudicá-los. Não quero que ninguém se sinta ofendido, pelo amor dos céus!  É apenas uma prosa acompanhada com Nescau (e seja lá qual for a sua bebida, haha) entre nós, está bem? Todo comentário e opinião é bem vindo, desde que não seja comentários ignorantes disfarçados de opinião.

E nóis, turma! 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário